ENTRE EM CONTATO

E-mails:

patrícia.martins@mackenzie.br

ana.pontes@mackenzie.br

PESQUISA

PROJETO DE PESQUISA

MUSEUS EM CONEXÃO

Como pensar, contemporaneamente, a relação entre o campo museal e o campo arquitetônico? Para além da relação física e funcional de um edifício que necessita abrigar o programa “museu”, há inúmeros outros aspectos próprios dessa relação que necessitam ser explorados, ampliados e até redefinidos, considerando questões próprias da atual sociedade da informação que envolvem, por exemplo, a sobrevivência e a legitimidade de instituições e eventos em suas comunidades locais e na comunidade global. A ideia de um “museu vivo” depende da sintonia entre a proposta curatorial, o ambiente museal e sua divulgação na rede mundial.

O catálogo de uma exposição é um documento importante para registrar a atividade dos museus, mas, além de sua produção custosa e circulação limitada, não é o melhor meio para registrar o universo sensorial envolvido na produção de exposições permanentes e temporárias que, depois de findas, desaparecem. O projeto expográfico, a linha curatorial, o layout, os suportes, o projeto de iluminação e de som, a experiência espacial, a ambiência enfim, não cabem nesse registro gráfico, na maior parte das vezes produzido antes que a montagem da exposição fique pronta. O registro em vídeo de uma exposição, de execução relativamente simples e barata, apresenta com maior fidelidade a experiência real de um evento dessa natureza, inclusive de seu aspecto arquitetônico. Tal registro, acompanhado de documentos como o texto curatorial, o projeto expográfico, o catálogo e a ficha técnica, é material de divulgação fácil e rápida que, ao revelar as várias camadas envolvidas nesses eventos, compõem rico material de documentação e pesquisa – aos próprios museus, aos visitantes, aos arquitetos, artistas e cenógrafos, aos pesquisadores.

Definir parâmetros para documentação de exposições temporárias que contemplem as especificidades contemporâneas do campo museal é ferramenta estratégica para os museus e para o arquiteto que atua neste campo. A possibilidade de contar com a rede mundial para ampla divulgação desse material pode contribuir para estruturar um campo de debate acerca da atividade expográfica, que constitui uma das importantes interseções da arquitetura com o campo museal.

Como objetivo geral, esse projeto de pesquisa visa explorar, ampliar, definir, a relação do campo museal com a disciplina da arquitetura, estabelecendo novas linhas de atuação para o arquiteto em projeto, ensino e pesquisa.

 

O projeto de pesquisa "Museus em Conexão" foi criado no fim do ano 2016,

integrante do eixo "Campo Museal, vinculado ao Grupo de Pesquisa da FAU Mackenzie “Arquitetura: Ensino & Projeto & Pesquisa”, certificado pelo CNPQ desde 2004.